Arquivo de julho, 2016

gq5

Após conquistar público, crítica e um Troféu HQMix, o Gibi Quântico volta em uma nova edição. Os alunos dos cursos de Roteiro para Histórias em Quadrinhos da Quanta Academia de Artes se reuniram com desenhistas de todo o Brasil para mostrar a força e a diversidade das HQs em 140 páginas inéditas.

Desta vez a edição ficou por conta de Airton Marinho (Gibi Quântico 1, Cabra D’Água – Terra Sitiada, entre outros) e a capa é de Jefferson Costa (Gibi Quântico 1, La Dansarina). Dos 24 artistas envolvidos no projeto, somente seis participaram do volume anterior, o que torna a nova edição uma verdadeira exposição de novos talentos!

Conheça as histórias e os artistas envolvidos.

 

Sorte para quem? – Paulo Biagioni (roteiro) e Guabiras (arte);

A resposta – Bruna Oliveira (roteiro) e Robert Yo (arte);

Sanatorium – Alessio Esteves (roteiro) e Doug Firmino (arte);

Timothy, o gigante – Everton Andrade (roteiro) e Humberto Kehdy (arte);

Pérolas – Jun Sugiyama (roteiro) e Pri Wii (arte);

Traumas – Lucas Souza (roteiro) e Eder Santos (arte);

Como sobreviver com um bumerangue no Outback – Fernando Barone (roteiro) e Rodrigo Martins dos Santos (arte);

Latrina – Tiago P. Zanetic (roteiro) e Dudu Torres (arte);

Brocker, o anão injustiçado – Airton Marinho (roteiro) e Fabricio Bohrer (arte);

Conexão urbana – Sabrina Paixão (roteiro) e Alexandre Arcangelo (arte);

Caminhos do Paraíso – Lucas Benetti (roteiro) e Clayton InLoco (arte);

Fio de Vento – Jujú Araujo (roteiro) e Akemy Hayashi (arte).

gq4

Abusando da minha amizade com este cabra batuta, consegui arrancar uma entrevista exclusiva sobre como foi produzir esta coletânea. Confira o bate-papo!

(mais…)

Anúncios

Trianom-Masp - 6 - Chafariz

Estação Trianon-Masp do metrô, começo da tarde de domingo. Perto da catraca, estavam reunidos Leósias, Dante, Camis e Drafenna. A primeira das meninas delas tinha pele bem  morena, encaracolados e curtos em delicado piercing no nariz. Usava um vestido e trazia um violão a tiracolo. Já a outra , apesar de morar no litoral, tinha a pela bem clara. Era magra e com cabelos castanho claro raspados bem baixos. Vestia uma camisa regata rosa, calça jeans e tênis.

Olhando ao redor, Dante reclamou:

– Porra, o Noname vai atrasar de novo?

– Caralho, Dante! – Leósias respondeu de sopetão. – Ele vai vir mais tarde com os Ice Knigths. Eles não sabem todos os detalhes da missão.

Drafenna abriu um sorrido irônico e perguntou:

– Então podemos ir né?

Todos se dirigiram para o Parque Trianon. O local do encontro era uma área próxima à uma fonte que existia lá dentro, mas estava desativada agora. Conforme combinado, Noname chegou meia hora depois com os seus amigos. Até aquele momento, tudo parecia relativamente normal. Pessoas vestidas como no dia a dia, alguns com pinta de góticos, outros com seus tradicionais símbolos pendurados ao pescoço. A maioria era jovem, mas havia um casal já chegando na meia-idade. As organizadoras eram duas garotas, Bela e Abelhinha, simpáticas e atenciosas. Noname e o outros procuravam atentos algum sinal de algo estava errado, mas encontravam nada. Leósias comentou com ele:

– Tem certeza que é esse o encontro? Só tem um monte de gente metido a wicca, pseudo-góticos…

– Tenho, mas estou estranhando também. De qualquer jeito, vamos ver no que dá.

(mais…)

mirc

Dante Sólon entra na sala.

Leósias entra na sala.

Noname entra na sala.

Dante Sólon fala para todos: Ice!

Leósias fala para todos: Chaos!

Noname fala para todos: Chaos! E aí, quais as informações que vocês conseguiram?

Leósias fala para todos: Bem, o encontro que vai rolar domingo agora é o ESP, Encontro Social Pagão. Quem organiza é uma lista de discussão de e-mails chamada Pagãos de Gaia, que existe faz uns anos já e tem membros do Brasil inteiro. Esses encontros rolam aqui em Sampa, no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Porto Alegre e estão organizando pra começar um em Lisboa, Portugal.

Dante Sólon fala para todos: Portugal? Eita porra! O bagulho não é pequeno não!

Leósias fala para todos: Esta lista não pertence à nenhuma ordem ou coisa do tipo. Quem fundou a parada é uma bruxa natural que atende pelo nick de Freya e ela é do Rio. Até onde pude ver, não trabalha pro outro lado. Ela até ajuda a gente meio que sem querer…

Noname fala para todos: Então por que a Mamãe nos mandou dar uma olhada?

Leósias fala para todos: Porque aqui em São Paulo esse encontro virou alvo de disputa de algumas facções do paganismo. Parece que a Associação Brasileira de Bruxos (Abrabru) está tentando tomar o controle do evento, que se diz independente de qualquer ordem. Além disso, parece que as organizadoras daqui estão tretadas com a tal Freya e pra piorar, temos maçons e rosacruzes comparecendo ao encontro.

Noname fala para todos: Será influência deles a briga?

Leósias fala para todos: Não dá pra saber… A questão é que é quase certeza que o próximo encontro vai ser o último que essas minas vão organizar e aí teremos uma brecha na organização e um monte de gente babando pra pegá-la. A tal de Freya parece que até tenta escolher quem organiza a parada aqui, mas como ela tá no Rio, nada é certo.

Dante Sólon fala para todos: Tá, vamos ter que ir para lá. Além de nós, alguém mais para chamar?

Leósias fala para todos: Bem, acho bom chamar a Drafenna e a Camis, porque tem que ter mulher na parada. E Noname, não rola chamar uns Ice Knigths pro caso de rolar alguma treta?

Noname fala para todos: Rola sim. Chamo o Ogrinho e o Lord Gustaf.

Dante Sólon fala para todos: Belesma então. Nos encontramos no domingo no horário e local combinado. Leósias avisa os outros e Noname chama os Ice.

Noname responde para todos: Certo então! ICE!

Dante Sólon fala para todos: CHAOS!

Leósias fala para todos: CHAOS!!

Noname sai da sala.

Dante Sólon sai da sala.

Leósias fala para todos: Por que eu sou sempre o último a sair?

Leósias sai da sala.

(continua…)

pracasilvioromero

Praça Sílvio Romero, bairro do Tatuapé, cidade de São Paulo, Brasil. No chão do coreto que ocupava a área em frente à igreja, estavam sentados dois sujeitos, fumando e com um ar impaciente. Um deles era cabeludo, sobrancelhas grossas e barba por fazer. Vestia camisa xadrez, calça jeans, sapatos e trazia bolsa preta a tiracolo. Já o outro tinha cabelos pretos penteados para trás e vistosas suíças. Usava óculos vermelhos e estava todo de preto. Ambos estão fumando e parecem impacientes.

O cabeludo acendeu mais um cigarro e comentou, irritado:

– Caceta, o Noname nunca é pontual.

O de óculos apagou seu cigarro e jogou sem se importar aonde ele iria cair:

– Isso não é novidade, Dante. O importante é que tá vindo. Mesmo porque é ele quem sabe da missão.

– Certo, certo… – suspirou Dante. – É que eu trouxe umas brejas e não queria que elas esquentassem, Leósias, só isso…

Então surgiu na esquina um sujeito de longos cabelos encaracolados e barba por fazer. Também usava óculos, mas vestia camiseta do Blind Guardian, calça jeans, tênis Adidas e trazia uma mochila nas costas. Os dois na praça sorriram ao vê-lo:

– Aleluia!

Noname sorriu:

– Tentei vir na hora, mas minha mãe queria que eu comesse antes de sair e…

– Tá bom, tá bom! – interrompeu Dante. – Vamos ao que interessa!

Ele tirou algumas latas de cerveja da bolsa. Todos abriram, brindaram e deram um belo gole. Noname respirou fundo e então começou:

– Recebi uma mensagem da Mamãe Caos. Temos uma nova missão. – deu mais um gole na cerveja. – Parece que tem uma nova egrégora se formando na cidade e temos que checar se tá tudo rolando bem.

(mais…)