Posts com Tag ‘histórias em quadrinhos’

laudo

Nesta sexta-feira estarei no Sesc Campians para participar de um discussão sobre a produção de quadrinhos no Brasil. Junto comigo estarão dois nomes de peso da HQ nacional: Laudo Ferreira (Yeshua e mais um monte de coisas) e Rafael Coutinho (Cachalote, entre outros).

Vamos conversar sobre como é fazer quadrinhos nos dia de hoje e partilhar experiências sobre formatos de produção e difusão, os desafios e as recompensas, claro!

Compareça e traga suas idéias!

A PRODUÇÃO DE QUADRINHOS NO BRASIL

21/10 (sexta-feira)
19h30
Entrada Gratuita
Rua Dom José I, 270/333 , Bonfim, Campinas.
CEP: 13070-741

Ilustração: Laudo

(NOTA: a seção jabá é usada para divulgar trampos / projetos / afins meus e de colegas. Praticamente um publieditorial dos bróders)

gq5

Após conquistar público, crítica e um Troféu HQMix, o Gibi Quântico volta em uma nova edição. Os alunos dos cursos de Roteiro para Histórias em Quadrinhos da Quanta Academia de Artes se reuniram com desenhistas de todo o Brasil para mostrar a força e a diversidade das HQs em 140 páginas inéditas.

Desta vez a edição ficou por conta de Airton Marinho (Gibi Quântico 1, Cabra D’Água – Terra Sitiada, entre outros) e a capa é de Jefferson Costa (Gibi Quântico 1, La Dansarina). Dos 24 artistas envolvidos no projeto, somente seis participaram do volume anterior, o que torna a nova edição uma verdadeira exposição de novos talentos!

Conheça as histórias e os artistas envolvidos.

 

Sorte para quem? – Paulo Biagioni (roteiro) e Guabiras (arte);

A resposta – Bruna Oliveira (roteiro) e Robert Yo (arte);

Sanatorium – Alessio Esteves (roteiro) e Doug Firmino (arte);

Timothy, o gigante – Everton Andrade (roteiro) e Humberto Kehdy (arte);

Pérolas – Jun Sugiyama (roteiro) e Pri Wii (arte);

Traumas – Lucas Souza (roteiro) e Eder Santos (arte);

Como sobreviver com um bumerangue no Outback – Fernando Barone (roteiro) e Rodrigo Martins dos Santos (arte);

Latrina – Tiago P. Zanetic (roteiro) e Dudu Torres (arte);

Brocker, o anão injustiçado – Airton Marinho (roteiro) e Fabricio Bohrer (arte);

Conexão urbana – Sabrina Paixão (roteiro) e Alexandre Arcangelo (arte);

Caminhos do Paraíso – Lucas Benetti (roteiro) e Clayton InLoco (arte);

Fio de Vento – Jujú Araujo (roteiro) e Akemy Hayashi (arte).

gq4

Abusando da minha amizade com este cabra batuta, consegui arrancar uma entrevista exclusiva sobre como foi produzir esta coletânea. Confira o bate-papo!

(mais…)

(Publicado originalmente no blog da Talento, em 17/11/2015)

03-gibi-plus-size

A editora norte-americana Valiant anunciou para janeiro de 2016 o lançamento de uma minissérie em quadrinhos com 4 edições intitulada Faith. A grande novidade dessa revista fica por conta de sua personagem principal, que é uma heroína plus-size.

Apesar de recentes avanços em suas temáticas, as histórias em quadrinhos ainda são um meio predominantemente masculino, com boa parte de seus profissionais e personagens importantes sendo homens. As mulheres, quando não são retratadas como parceiras, assistentes ou namoradas dos heróis, ainda são extremamente sexualizadas, com corpos no padrão esbelto e trajes colados e minúsculos.

E é exatamente por isso que a iniciativa da Valiant é tão importante! Ao trazer para os holofotes uma super-heroína plus-size e fora dos padrões de beleza, faz com que mais pessoas sintam-se representadas pelos quadrinhos e tenham referenciais positivos.

(mais…)

(Publicado originalmente no Contraversão em 21/08/2013)

hipster1

“Se você acha ‘OK’ que o cara que te zoava por ler gibi na escola agora pagar de entendido por ver dois filmes do Wolverine… Daí vai do seu coraçãozinho. O meu não acha justo!”

Presenciei nas últimas semanas duas ondas de fúria nerd que considerei, para ser educado, desnecessárias. A primeira veio de um anúncio mal interpretado da autora de saga Crepúsculo, onde anunciou que gostaria de passear pela Terra Média. Multidões ergueram tochas e ancinhos, ao invés de ler o texto original e perceber que ela só manifestou uma vontade de escrever fantasia medieval. A inquisição das redes sociais é tão manipulável e implacável quanto a de Torquemada.

A outra veio de um bate-papo entre amigos sobre Círculo de Fogo, filme sobre robôs e monstros gigante de Guillermo Del Toro. Vi o filme e gostei bastante, mas parece que sou uma exceção à regra entre os entendidos do assunto. Li coisas como “O diretor chegou tarde em uma festa que já acabou”, “Já fizeram coisa melhor antes” e a que considerei melhor de todas “Pacific Rim é tão coisa pra civil que todo otaku de meia tigela sabe que cockpit de mecha não fica na cabeça, isso é uma heresia contra todo o cânone dos robôs japoneses”.

(mais…)